Sobre o Motin

MOTIN é um movimento criado por teatros independentes de São Paulo que visa discutir sua atividade cultural pública e sua identidade frente a população. As semelhanças nos aproximam. As diferenças nos unem.

O MOVIMENTO DOS TEATROS INDEPENDENTES DE SÃO PAULO é um processo que surgiu em meados de 2013, decorrente do encontro de um grupo de artistas-gestores de espaços culturais, principalmente, dos pequenos teatros espalhados pela cidade. Somos nós, aqui presentes. Autônomos na captação de recursos e na forma de manutenção financeira das nossas sedes e companhias. Não possuímos bandeiras promocionais vinculadas aos nomes dos nossos espaços. Somos independentes na curadoria da nossa programação, na gestão das nossas salas e na produção dos nossos conteúdos artísticos.

Somos agentes civis atuando espontaneamente na cultura que, no entanto, é território público. Arcamos com os custos de políticas de estado, como meia-entrada e acessibilidade, sem contrapartidas para seu custeio. Sofremos com a valorização imobiliária, que pressiona nossos aluguéis ou nos desaloja de nossas sedes.

Nossos espetáculos não são produtos industrializados feitos em série ou pré-determinados por pesquisas de opinião ou estratégias de marketing. São artesanais e únicos, com outra lógica de produção e comercialização. A demanda que suprimos, o Estado não tem conseguido atender.

Produzimos cultura autonomamente, mas na solidão da nossa luta por fazê-lo também nos isolamos. Diante dos novos dispositivos midiáticos, questionamos nossa real importância na sociedade. O Movimento busca uma auto reflexão mais abrangente. Na nossa procura por identidade, nos re-significamos. E, novamente, neste ato, estamos cumprindo nossa função social.

É na diversidade estética, ideológica e dos modos de produção desses pequenos espaços-laboratório, cada qual falando o dialeto da sua tribo e comunicando-se especificamente com seus públicos, que está o maior valor do nosso Movimento.

No múltiplo vocabulário das diferenças. É na capilaridade do social que está a expressão mais viva da nossa arte. A diversidade é a riqueza cultural do Movimento.

Somos uma rede em formação. E, no ato de constituir esses vários fluxos e conexões, os “pequenos teatros” de São Paulo deixam de ser fenômenos quixotescos e isolados. Percebemos que existe uma lógica urbana, histórica e social mais abrangente que nos envolve. Os tempos mudaram e a força expressiva da nossa arte não está mais na realização de um grande sucesso isolado, suportado por ampla publicidade nos meios de comunicação de massa. Isso não mais existe. A expressão é a própria rede. É a nova mídia e o novo suporte midiático que nós queremos entender melhor. Por isso a necessidade de conhecermos com mais profundidade este momento histórico no qual, não por acaso, nós nos encontramos.

Para sabermos mais acerca de nós mesmos precisamos nos re-identificar. Fizemos a primeira cartografia dos nossos espaços, considerando seus territórios e atravessamentos no civil e no público, de modo a conhecermos nossas particularidades e nossas possibilidades de atuação artística, social e política.

Convidamos pensadores contemporâneos que estudam o tema para debatê-lo conosco, ajudando-nos a produzir o conhecimento desse momento, original e brasileiro.

O MOVIMENTO DOS TEATROS INDEPENDENTES DE SÃO PAULO é uma organização em rede, sem hierarquia; é uma expressão da nossa época e uma iniciativa histórica dos artistas envolvidos. Busca ações duradouras e significativas para a cidade.

São Paulo, 22 de Setembro de 2015

Fórum